Novembro azul | O preconceito que custa caro

Psicologia esportiva ajuda atletas a melhorar rendimento e alcançar o pódio
3 de outubro de 2019

Novembro azul | O preconceito que custa caro

No mês de novembro as coisas mudam de cor e passam a ficar azuis. O Novembro Azul é uma campanha de combate ao câncer de próstata e conscientização da importância de exames regulares e diagnóstico precoce.

Tabus

O preconceito contra o exame de toque é uma grande barreira e custa caro à saúde dos homens, mas, infelizmente, esse é o método mais importante no rastreamento do tumor prostático.

No imaginário masculino, ainda existem muitos mitos acerca dos exames preventivos, provenientes de uma cultura machista. Ao longo dos tempos a região anal foi associada à sexualidade promíscua e o uso dessa região para obtenção de prazer foi deslegitimado aos homens, sendo atribuído às relações homoafetivas.

novembro azul

Atualmente, ainda temos essa premissa bastante arraigada em nossa cultura, e é a partir dessa premissa que muitos homens se recusam ao exame, numa tentativa, um tanto quanto “irracional”, de se preservar, ou legitimar, sua masculinidade. A própria doença da próstata também está muito associada a essas premissas e preconceitos. Nesse caso, o alvo do receio não tem a ver com a manipulação da região anal, mas com o risco de disfunção erétil – condição bastante associada a um prejuízo da masculinidade.

Diagnóstico

O Câncer de próstata é completamente assintomático nos estágios iniciais. E é neste momento que deve ser feito diagnóstico. Os sintomas aparecerão quando o tumor crescer demais, às vezes até com a doença espalhada pelo corpo. Por isso, o rastreamento deve ser feito rotineiramente, mesmo que não se apresente sintoma algum.

Prevenção

Como prevenção, são necessários alguns cuidados regulares como auto-exames e atenção ao aparecimento de anormalidades como caroços, variações repentinas de tamanho e dor.

Com a melhoria dos métodos de detecção e tratamento do câncer de próstata elevou consideravelmente as taxas de cura, podendo chegar a 95%. Enquanto que na década de 1980 a maioria dos pacientes eram tratados de forma paliativa, atualmente, conseguimos detectar tumores muito iniciais, o que favorece o tratamento.

Campanha

novembro azul

Vale ressaltar que tão importante quanto divulgar as informações é quebrar esses tabus. Quando estivermos diante de uma situação onde se fala de sexualidade, saúde sexual, gênero é essencial deixarmos de lado as “piadas prontas” para podermos falar com franqueza e não perdermos a oportunidade de contribuir contra a cultura do machismo e suas consequências, algumas drásticas, isso ajudará muito.

Participe você também do Novembro Azul e espalhe a conscientização da importância dos exames periódicos, da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata.